.
.
.
.
.
.

Retorno


Já se passaram sete anos, hoje volto aqui para escrever.
Vejo o mundo com um olhar diferente, a mudança pulsa e eu quero sentir. 
Tenho estado mais vezes consciente, com mais clareza no coração e entendimento na razão. 
Vejo que não se pode mudar o outro pois a mudança é individual. 
Vejo também que é possível sim ser flexível, pois ser rígido é rompimento certo é frustrante. 

Não posso deixar de ser o que sou, mas posso ser melhor do que estou.. 
Ainda acredito na transformação do ser, mas isto depende  do querer.  
Querendo o homem tudo pode!
É forte dizer isto, é desfiador para a fé individual. 
Tenho observado pessoas bem próximas a mim e vejo o quanto estão ligadas no ter e não no ser, em meio a solidão se justificam presos a "coisas" que são materiais e fazem parte da conquista ao longo da vida. 
Conquistas não essenciais fazem companhia a um ser só, cheio de dó e ilusões. 
Um desejo:  trazer todos para junto, bem perto, uns dos outros entre os outros, com respeito, cuidado, amor, dedicação... Somente todos se amando, amando o próximo como a ti mesmo, se apoiando e fazendo do dia a dia conquistas essenciais; um pelo outro, um com o outro formando um grande laço que não tem "coisas" e sim amizades, amor, perdão, cumplicidade, compaixão, zelo. 
Conquistas essenciais que não tem preço mas tem muito valor. 
Pessoas, olho no olho, verdade, coração quente, alma leve, língua firme que não fere mas aveluda a quem se refere. 

Quero ser assim e lembrando que o homem tudo pode, basta meu querer ser forte. 
O coração enche de esperança em uma única confiança, a que está em mim. 
Dentro de mim estão as respostas, dentro de cada ser existe sua verdade e nenhuma verdade se sobrepõe a do outro pois "...  não tem certo e nem  errado, todo mundo tem razão..." Raulzito já dizia que o ponto de vista é que é o ponto da questão. 

Raquel Marra
                                                                               

1 comentários:

Elma Carneiro disse...

Que beleza de texto, voltou melhor que antes. É o crescimento,
Bjo

Postar um comentário